Conecte-se

Cultura

Dossiê da UFMG propõe tombamento de distrito destruído em Mariana

Publicado

em

O Ministério Público de Minas Gerais (MPMG) anunciou hoje (30) ter recebido um dossiê elaborado pela Escola de Arquitetura da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) propondo o tombamento da região do distrito de Bento Rodrigues, que foi devastado na tragédia de Mariana (MG), em novembro de 2015. No episódio, o rompimento de uma barragem da mineradora Samarco causou impactos em toda a bacia do Rio Doce e deixou 19 mortos.

O documento é fruto de uma pesquisa realizada ao longo de três anos em Bento Rodrigues. Com mais de 400 páginas, ele reúne fotos, depoimentos de moradores, dados, análises e impressões dos pesquisadores que trabalharam na iniciativa. De posse do documento, o MPMG afirma que poderá embasar um eventual pedido de tombamento do distrito e de sua transformação em “um sítio de memória sensível”.

A nível municipal, a discussão sobre a criação de um memorial nas comunidades que foram destruídas em Mariana ocorre desde 2016, quando o Conselho do Patrimônio de Mariana (Compat) iniciou um processo de tombamento. Alguns bens imóveis inclusive já foram tombados de forma individual como a Igreja de Nossa Senhora das Mercês, em Bento Rodrigues, e a Igreja de Santo Antônio, em Paracatu.

Um dos debates gira em torno da necessidade de preservação da história do rompimento da barragem. Há iniciativas semelhantes no mundo como o Memorial do Holocausto erguido em Berlim, na Alemanha, que busca lançar um alerta para que tragédia similar não se repita. A decisão, porém, deve levar em conta os interesses dos atingidos, uma vez que há um acordo para que eles mantenham a posse de seus terrenos devastados, mesmo recebendo uma nova casa nas comunidades que estão sendo reconstruídas pela Fundação Renova, entidade que foi criada para reparar os danos da tragédia usando recursos financeiros da Samarco e de suas acionistas Vale e BHP Billiton.

No final do ano passado, um integrante da comissão dos atingidos chegou a manifestar alguns receios com o tombamento . “Se futuramente acharmos coisas que nós perdemos, fica mais complicado para tirar. Vai precisar de autorização”, disse José do Nascimento de Jesus, conhecido como Zezinho do Bento.

Na ocasião, a presidente do Compat, Ana Cristina de Souza Maia, considerou natural esse tipo de preocupação, que deve ser dissipada ao longo do processo. “É importante destacar que todo o limite, alcance e restrição do tombamento deve ser definido pelo conselho a partir da oitiva dos atingidos.”

Anúncio
Clique para Comentar

Deixe seu comentário

Cultura

SESC Anápolis promove troca de livros neste sábado, 26

Publicado

em

Por

O SESC Anápolis promove no próximo sábado (26. Out) uma troca de livros literários. Os interessados em trocar sua história por uma diferente deverão comparecer a unidade do bairro Jundiaí ás 10 horas.

A troca de livros é uma oportunidade de mergulhar em histórias que você nem imaginava que existia. O evento é gratuito e aberto à comunidade.

A dinâmica funciona da seguinte forma: Cada livro vale um cupom, poderá ser trocados quantos livros desejar.  Aqueles que desejam retirar com urgência seus cupons já pode se dirigir até a biblioteca do Sesc Anápolis.

Continue Lendo

Cultura

Exposição fotográfica retrata do alto um dos bairros mais antigos de Goiâni

Publicado

em

Por

A beleza de um dos bairros mais antigos de Goiânia, o Setor Oeste, registrada com um novo olhar. Esse é o resultado do trabalho artístico do fotógrafo Pedro Nasser Caetano, 31 anos. Ele conta que o que começou como uma tarefa profissional há quatro anos – é engenheiro civil e usava drones para acompanhar o andamento das obras – acabou se tornando um hobby apaixonante e uma exposição que será aberta amanhã (22), às 17 horas, na Praça do Reserva Newest, localizada na Avenida Portugal, esquina com a Rua 12, no Setor Oeste.

“Foi amor à primeira vista, me encantei pela fotografia”, revela o engenheiro que traz em suas fotos uma visão que pouquíssimas pessoas têm de sua cidade, a do alto. “Geralmente as pessoas ficam surpresas, não acreditam que os lugares retratados nas minhas fotos são aqueles que conhecem, pois fica bem diferente do que estão acostumadas a ver”, ressalta. A realização da exposição “New View” partiu de um convite da Brasal Incorporações, que queria fazer uma homenagem à Goiânia em seu aniversário de 86 anos. 

A empresa que realiza a exposição, desde que chegou a Goiânia, em 2011, vem  promovendo e apoiando várias ações culturais e de interação com a comunidade goianiense. Em 2015, a Brasal, inclusive, promoveu um concurso de fotografia, também em comemoração ao aniversário da capital. “Desde que chegamos aqui temos nos empenhado em buscar o engajamento da população que tão bem nos recebeu. Abrimos nossos terrenos para abrigar eventos e para oferecer equipamentos públicos, como praças e pet places para uso da população. Esta é mais uma iniciativa de interação com a comunidade e um presente para o aniversário da cidade”, destaca Thiago Galvão, gerente regional da Brasal.

Homenagem
A oportunidade de homenagear sua cidade natal também motivou Pedro a aceitar o desafio de montar a exposição. “A idade adulta é um misto do que já vivemos e das expectativas que criamos para o futuro. Apesar de estar completando 86 anos, gosto de pensar que, com a devida proporção, Goiânia passa pela mesma etapa da vida que eu”, compara o fotógrafo sobre si mesmo e a capital onde nasceu. Serão 14 fotos produzidas em sete painéis para serem expostos no pergolado da Praça Newest, que retrataram o segundo bairro mais antigo de Goiânia e o quarto mais populoso, conforme dados do IBGE.

O bairro histórico que começou a ser urbanizado nos anos 1950, teve seu ápice de crescimento e verticalização até os anos 1980.  Depois disso, cedeu esse protagonismo para outros setores que estavam em desenvolvimento, como o Bueno e, mais recentemente, o Jardim Goiás e o Marista. Mas agora volta a atrair novos empreendimentos. O Setor Oeste, além de ser um dos bairros mais nobres da região sul de Goiânia, se destaca por estar entre dois antigos e importantes parques da cidade: o Bosque dos Buritis e o Lago das Rosas. “Esse é um bairro que poucos conhecem a história, apesar de ser bem movimentado, inclusive aos finais de semana, com seus parques e praças. Então, foi um desafio gratificante para mim, pois quis levar uma nova perspectiva para as pessoas”, relata o engenheiro e fotógrafo na horas vagas.

Continue Lendo

Cultura

Centro Cultural da UFG recebe festival “Goiânia em Cena”

Publicado

em

Por

O Festival Internacional de Artes Cênicas “Goiânia em Cena”, em sua 17º edição acontece no Centro Cultural da Universidade Federal de Goiás até a próxima quarta-feira (23. Out).

Nesta edição, com o tema reexistências poéticas, o Goiânia em Cena traz atrações que compõem uma programação ligada à contemporaneidade.

A mostra propõe um diálogo entre a produção cultural brasileira e a realidade na qual se insere, da qual tem emergido, criando novas e insuspeitas narrativas.

Confira a programação:

DIA 21/10 – SEGUNDA – FEIRA

21h – Centro Cultural UFG

Josefina La Gallina, Puso Un Huevo Em La Cocina

Vaca 35 Teatro en Grupo (MEXICO)

Teatro, 45 min., 14 anos

DIA 22/10 – TERÇA – FEIRA

20h – Centro Cultural UFG

Estilhaço

Anna Behatriz e Jeferson Leite(GO)

Dança, 30 min., 18 anos

21h – Centro Cultural UFG

Mundo cão

Federação de Teatro de Goiás FETEG (GO)

Teatro, 60 min., 18 anos

DIA 23 – QUARTA – FEIRA

18h- Centro Cultural UFG

A noite dos assassinos

Máskara – Núcleo Transdisciplinar de Pesquisas em Teatro, Dança e Performance (GO)

Teatro, 120 min., 16 anos

Continue Lendo

Em Alta