Conecte-se

Cidades

Urbanismo – Comunidades planejadas constroem legados para as cidades

Publicado

em

O conceito urbanístico ainda pouco difundido no Brasil é um contraponto ao crônico problema de crescimento desordenado nas cidades brasileiras e será tema de seminário em Goiânia, nos dias 17 e 18 de outubro. Evento trará, inclusive, case de sucesso na capital: o recém-lançado Plateau d’Or.

As cidades brasileiras, desde o início do século 20, quando o processo de urbanização se expandiu efetivamente pelo País, sofrem com o crescimento desordenado, onde a demanda por serviços públicos e bem-estar é sempre insuficiente para as populações que se aglomeram precariamente onde conseguem moradias. Por aqui, primeiro surgem os bairros com as pessoas e depois, com muito custo, chegam os benefícios básicos como asfalto, comércio, escolas, unidades de saúde.

Em contraponto a esse crônico problema brasileiro, um conceito urbanístico, ainda pouco difundido no País, mas já frequente em nações como Portugal e Estados Unidos, começa a ganhar força: as comunidades planejadas, que são, inclusive, tema de um seminário que será realizado nos dias 17 e 18 próximo, em Goiânia, cidade que tem sido considerada nova fronteiras dos bairros de alto padrão planejados.

O evento tem o propósito de debater os desafios de grandes projetos urbanísticos, bairros e comunidades planejadas, loteamentos e condomínios, e para isso trará três cases de sucesso. Um deles é o recém-lançado Plateau d’Or, um condomínio horizontal desenvolvido pelo Grupo Toctao, em parceria com premiado escritório britânico de arquitetura, Broadway Malyan. O empreendimento será edificado numa das áreas mais centralizadas da região Sudeste de Goiânia, na saída da GO-020, ao lado do Alphaville e será uma comunidade planejada, que adotará os mais modernos conceitos urbanísticos do mundo.

Planejar é preciso
As comunidades planejadas são projetos urbanísticos que consistem no planejamento de um bairro que agrega tanto casas residenciais quanto comércios, e como o próprio nome diz: o espaço será planejado para receber um número X de moradores e comerciantes. Dentro dessa área planejada já estão previstas, antes mesmo da chegada de seus moradores, espaços destinados a todas as necessidades de serviço e comércio desta população, como escolas, supermercados, área de lazer, mobilidade, farmácias, cursos de idiomas, consultórios médicos, farmácias e até mesmo hospitais.

Segundo o administrador Bruno Salvador, especialista em Gestão e Logística e diretor da Teriva Urbanismo, o conceito de comunidades planejadas trazem benefícios não só para os moradores do condomínio que ancora o projeto, mas também para toda a região em seu entorno, trazendo soluções urbanas permanentes para cidade em termos de mobilidade, equipamentos de lazer, sustentabilidade e segurança. “Esse é um movimento ainda novo em Goiânia, que tem ganhado espaço em alguns projetos que invertem a lógica comercial do resultado em curto prazo. Em projetos de comunidades planejadas é preciso pensar em longo prazo. São benefícios que serão desenvolvidos e usufruídos no decorrer do tempo, trazendo assim uma qualidade de vida duradoura para todos que vivem, trabalham ou trafegam pela região”, explica. 

Segundo ele, na área de mobilidade, por exemplo, essas comunidades envolvem o planejamento de vias e passeios públicos para que suportem o fluxo de veículos projetados para quando o empreendimento estiver ocupado; além de contar com planejamento de ciclovias, ruas de pedestres, entre outros equipamentos. As comunidades planejadas também se propõem a oferecer soluções adequadas para esgotamento sanitário, drenagem, economia e reúso de água, iluminação eficiente, etc. 

Outro ponto importante destacado pelo especialista é a oferta de diversos serviços que atendam às necessidades dos usuários sem que haja necessidade de longos deslocamentos, tais como farmácias, hospitais, escolas, cursos de idiomas, academias, supermercados, shopping, etc.  “A intenção é gerar economia de tempo, redução da poluição, estímulo à caminhada e à pedalada, o que proporciona mais contato com a natureza e mais qualidade de vida”, afirma.

Case
Bruno Salvador será o porta-voz do Grupo Toctao na apresentação do case do Plateau d’Or, cujo planejamento levou dez anos desde a compra da área até o seu lançamento, realizado em março deste ano. “A incorporadora convidou o escritório inglês de arquitetura Broadway Malyan com larga experiência em projetos desta natureza em quase todo o mundo e o resultado foi um condomínio horizontal que  irá possibilitar que as pessoas façam suas atividades do dia a dia sem precisar usar o carro, investindo na caminhada, na bicicleta e em outros modais, além de entregar para a cidade uma nova centralidade que irá contribuir com o desenvolvimento de toda a região Leste”, frisa.

Segundo ele, o fato de o projeto investir na qualidade da infraestrutura e no planejamento do pós-entrega gerou uma aceitação muito elevada no público da capital goiana, transformando o empreendimento recém-lançado num sucesso nacional de vendas. “Somente no final de semana do lançamento foram comercializados quase 70% dos lotes, representando um VGV de mais de R$ 100 milhões”, destaca. 

Inovações

Entre as inovações trazidas pelo  Plateau d’Or está a ideia de walkability ou caminhabilidade. É um conceito de mobilidade urbana sustentável, que busca estimular a caminhada agradável em espaços especialmente planejados para isso. Outra novidade é a proposta de placemaking que traz um processo de planejamento, criação e gestão de espaço totalmente voltado para as pessoas, visando  uma maior interação entre elas e o próprio meio, e transformando pontos de encontro de uma comunidade (parques, praças, ruas e calçadas) em lugares mais agradáveis e atrativos.

 “Desenvolvemos um ambiente que estimula a convivência em comunidade, em maior harmonia com a natureza, com equipamentos possíveis de serem acessados a pé, diminuindo distâncias e excluindo congestionamentos, pois essa é a grande tendência de ocupação nas cidades do mundo” salienta o diretor do Grupo Toctao, engenheiro Alan de Alvarenga Menezes. 

Outra proposta de inovação trazida no projeto é criar uma nova centralidade de negócio na região sudeste de Goiânia, onde estão hoje os grandes condomínios horizontais e cujos moradores ainda precisam se deslocar grandes distâncias para terem acesso a serviços como escolas, hospitais ou para trabalhar. 

Apesar da área privativa do condomínio, o projeto Plateau d’Or contará com várias áreas abertas ao público. Essa nova centralidade está sendo desenvolvida como um “hub humano” pautado em cinco pilares focados nas áreas educacional, saúde, serviços, comércio e cultura,  contando com serviços essenciais a fim de diminuir as distâncias e tempo gastos em tarefas essenciais do nosso dia a dia. Além disso, uma via verde será implantada para favorecer a convivência e o caminhar dos moradores. Com 16 metros de largura e quase dois quilômetros de extensão, atravessará a extensão dos dois condomínios com árvores, paisagismo, bancos, uma via para pedestres e uma ciclovia.  

Todo o projeto do Plateau D’or traz irá ocupar uma área de 1,6 milhões de metros quadrados, da antiga Fazenda Gameleira. A estimativa dos idealizadores do projeto é de que mais de 2.200 pessoas habitem o  empreendimento, que contará com o total de 671 lotes, distribuídos em duas áreas residenciais e uma centralidade comercial que será um dos diferenciais do projeto. Com lotes variando de 525 m² à 1.200 m², o condomínio vai contar também com uma centralidade de negócios, serviços e lazer que contará com  180 mil m². 

Anúncio
Clique para Comentar

Deixe seu comentário

Cidades

Introdução alimentar: muita calma nessa hora

Publicado

em

Por

Uma das fases mais mágicas e difíceis da maternidade é a introdução alimentar, que ocorre a partir dos seis meses de vida da criança, conforme recomendação da Organização Mundial de Saúde (OMS) e do Ministério da Saúde. O termo é usado para designar a fase em que a alimentação dos bebês começa a incorporar outros alimentos além do leite materno. Até essa idade, o aleitamento materno deve ser exclusivo e não há necessidade de nenhum outro alimento, nem mesmo água, já que o leite da mãe supre também as necessidades de hidratação do bebê.

Muitas dúvidas podem surgir nesse momento, como, por exemplo, quais os alimentos que podem ser oferecidos às crianças. Nesse momento, é importante procurar por uma orientação médica, seja do pediatra da criança, de um nutrólogo ou nutricionista. Algumas mães ainda sofrem com a rejeição de alguns alimentos por parte do filho.

De acordo com o nutrólogo Ribamar Cruz, é importante que os pais tenham consciência de que os filhos aprendem pelo que os veem fazendo. “Isso vale também para alimentação . A nutrologia para pais e filhos ajuda a criar novos hábitos alimentares em casa. O saudável pode ser gostoso para todas as idades”, explica.

Ainda de acordo com o especialista, a alimentação complementar deve ser introduzida de maneira lenta e gradual. “Algumas crianças podem estranhar no início e recusar determinados alimentos, o que é normal, pois trata-se de uma experiência totalmente nova para elas”< destaca Ribamar Cruz.

Uma dica do nutrólogo é se a criança não aceitou, não insista, não force e não agrade. “Às vezes, ela recusa, e isso é normal. É importante que o alimento seja novamente oferecido em outra ocasião”, explica ele. De acordo com informações do Ministério da Saúde, é necessário oferecer um alimento de oito a dez vezes, em média, até que a criança o aceite.

A servidora pública Cláudia Aguiars conta que o Otto, seu primeiro filho, está com oito meses e desde os seis ela iniciou a introdução alimentar. “É uma criança bem tranquila e aceita quase tudo que eu ofereço. Dizem que a fase que as crianças começam a ficar mais seletivas com a comida é a partir dos dois anos. Vamos aguardar”, disse ela.

Continue Lendo

Cidades

Lojas Americanas abre as portas a meia-noite nesta sexta-feira, 29, em Anápolis

Publicado

em

Por

A Black Friday é nesta sexta-feira (29. Nov) e as lojas em Anápolis já estão se preparando. As lojas Americanas da Rua Engenheiro Portela, conhecida por oferecer grandes descontos nesta data irá abrir a meia-noite, de quinta-feira para sexta-feira (29. Nov).

A loja irá promover a “Red Friday” e promete descontos ainda maiores do que os outros anos. Para alcançar o maior número possível de consumidores, neste ano, a Lojas Americanas abrirá mais de 400 unidades à meia-noite do dia 29 de novembro, em todo o Brasil.

Continue Lendo

Cidades

Passageiros poderão usar cartão de crédito em ônibus da Grande Goiânia

Publicado

em

Por

O Novo sistema de bilhetagem eletrônica Sitpass da Região Metropolitana de Goiânia terá funcionalidades como biometria facial, pagamento por QR Code, cartões Sitpass, cartão de crédito ou débito por aproximação (NFC), pagamento em nuvem, recarga a bordo, wi-fi a bordo e atualização de dados dos cartões a bordo. O modelo foi apresentado nesta terça-feira (26/11), em evento realizado na sede da Companhia Metropolitana de Transportes Coletivos (CMTC).

Com tecnologia de ponta e diversos recursos digitais, o novo sistema vai tornar a utilização do transporte coletivo mais fácil, prática e segura, além de ampliar o acesso dos clientes ao serviço.

Com financiamento e implementação gradual realizada pelo RedeMob Consórcio, a primeira fase, que contempla a biometria facial e o QR Code, será executada em até oito meses após a assinatura do contrato. A segunda fase terá prazo de conclusão de quatro meses após o término da primeira etapa. A previsão é que o novo sistema esteja em pleno funcionamento até dezembro de 2020.

“A CMTC e as empresas concessionárias do transporte coletivo estão sempre buscando a melhoria do serviço prestado ao nosso cliente, e a nova bilhetagem nada mais é do que a garantia de que esta melhoria será alcançada. É um sistema prático, que também usa a internet e o smartphone.

Praticamente toda a população já utiliza hoje os cartões de crédito e débito ou o smartphone, então isso vai facilitar muito a adesão a essas novidades. Os nossos clientes não terão nenhuma dificuldade de adaptação às mudanças”, reforçou o presidente da CMTC, Benjamin Kennedy Machado da Costa. A transição para o novo sistema de bilhetagem será executada sem prejuízos ao sistema atual.

Todas as etapas do processo serão cumpridas de forma a minimizar o impacto durante o período de transição de forma a esclarecer para os usuários todos os benefícios que chegarão com a mudança, por meio de campanhas nas redes sociais e nos terminais de integração da RMTC.

Assinatura do contrato com a empresa de tecnologia Prodata

Pioneiro no Brasil, o atual sistema de Goiânia utiliza tecnologia francesa e está com mais de 22 anos de operação ininterrupta. A RMTC possui cerca de 1 milhão e 900 mil unidades emitidas do Cartão Fácil. A transição para o novo sistema de bilhetagem será executada com a garantia de não prejudicar a população que utiliza o serviço.

Os mais de 1.700 pontos de venda espalhados pelas cidades da Região Metropolitana de Goiânia continuarão realizando o serviço de recarga do Cartão Fácil normalmente.

Continue Lendo

Em Alta