Conecte-se

Educação

MEC abre amanhã consulta para vagas no Sisu

Publicado

em

A partir de amanhã (23), os estudantes já poderão consultar as vagas disponíveis nas instituições e cursos oferecidos no Sistema de Seleção Unificada (Sisu) do segundo semestre, na pagina do Sisu na internet.

Podem participar do Sisu, os estudantes que fizeram prova do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) de 2018 e obtiveram nota na redação acima de zero.

As inscrições do Sisu poderão ser feitas de 4 a 7 de junho. Durante esse período, uma vez por dia, o Sisu calcula a nota de corte, que é a menor nota para o candidato ficar entre os potencialmente selecionados.

O resultado será divulgado no dia 10 de junho. Os participantes poderão ainda integrar a lista de espera entre 11 e 17 de junho.

Simulador

Para evitar sobrecarga do sistema, segundo o Ministério da Educação, o simulador do Sisu, que mostra informações dos últimos processos seletivos, vai ficar temporariamente fora do ar a partir desta quinta-feira.

A previsão é que volte ao ar no dia 10 de junho. “A medida, preventiva, foi necessária para evitar que o sistema fique sobrecarregado”, disse a pasta.

O Sisu oferece vagas em instituições públicas de ensino superior a estudantes que fizeram o Enem.

Anúncio
Clique para Comentar

Deixe seu comentário

Educação

IFG Anápolis inicia atividades da semana de Ciência e Tecnologia

Publicado

em

Por

Nesta terça-feira terça e quarta 15, 16 de outubro o Instituto Federal Goiano promove a 7º semana de Educação, Ciência e Tecnologia (SECITEC). O evento relaciona-se com a Semana Nacional de Ciência e Tecnologia (SNCT) que ocorre simultaneamente em instituições de ensino superior de todo o País.

A abertura oficial acontece no teatro Professor Wemerson Martins Medeiros (IFG Anápolis) a partir de 9h45 do dia 15 de outubro, com uma apresentação musical da banda Nuvem Cigana e em seguida a palestra “Astronáutica: lixo espacial e seus impactos na comunicação mundial”, que será ministrada pelo professor Paulo Henrique Azevedo Sobreira, da Universidade Federal de Goiás (UFG).

Cada edição tem um tema geral selecionada pelo governo federal. Neste ano, a temática escolhida foi “Bioeconomia: Diversidade e Riqueza para o Desenvolvimento Sustentável”.

A 7ª SECITEC se compõe de palestras, apresentações culturais e oficinas. Além disso, o evento também inclui a II Feira de Ciências do IFG Anápolis e o Seminário de Comunicação de trabalhos de pesquisa e extensão desenvolvidos no Câmpus. Também haverá uma atividade especial de imersão na língua inglesa denominada “First Immersion Day in English”. Outro ponto de destaque será a realização do I Encontro de Egressos do Câmpus.

Continue Lendo

Educação

Centro Cultural Oscar Niemeyer recebe doação de livros didáticos dos séculos XIX e XX

Publicado

em

Por

Como maneira de preservar as memórias sobre as formas de ensino e aprendizagem nos séculos XIX e XX, o pesquisador Bento Alves Araújo Jayme Fleury Curado, que é Doutor em Geografia e Mestre em Letras e Linguística, desenvolveu o projeto “Memória literária da infância em Goiás”, reunindo mais de vinte obras que eram utilizadas pelas escolas e pelas famílias na alfabetização das crianças goianas. Todos os exemplares foram doados à Biblioteca Infantil do Centro Cultural Oscar Niemeyer.

Os exemplares reunidos pelo pesquisador foram publicados entre 1871 e 1989. Entre eles estão produções raríssimas de escritores goianos como um exemplar manuscrito do jornal “O Baumann”, de 1907, de autoria de Maria Paula Fleury Curado, considerada pioneira na literatura feminina em Goiás, destacando-se por suas publicações Sombras, Nós e Elas, Suave Caminho, Realidade e Sonho e Velha Casa. “O Baumann” é uma homenagem à chácara onde a escritora morava na Cidade de Goiás.

Entre as obras goianas doadas também está um exemplar do jornal “O Lar” desenvolvido por mulheres da Cidade de Goiás, entre elas Oscarlina Alves Pinto e Floracy Artiaga, entre 1929 e 1930 com o objetivo de promover as vozes femininas entre os circuitos intelectuais da cidade.

A Biblioteca Infantil do CCON também recebeu diversos exemplares de obras que eram adotadas como fonte de ensino em escolas modelo de diversas capitais brasileiras. “Prosodia e Orthografia”, publicada em 1871, era utilizada para o ensino da gramática portuguesa para alunos do 1º ano. “Chorographia do Brasil”, publicada em 1922, era um manual sobre o país e continha informações sobre a vegetação, território, aspectos políticos, culturais e religiosos, clima e população.

Ainda integram o acervo obras literárias ficcionais como “As Meninas Exemplares”, de 1959, escrita pela Condessa de Ségur, que conta às aventuras e rebeldias de três amigas e livros que tinham como objetivo a exaltação do nacionalismo brasileiro como Brasileirinho (1947) de Ofélia e Narbal Fontes.

Thiago Pitaluga, responsável pela Biblioteca Infantil do CCON, explica que o material recebido será digitalizado como forma de preservar a memória literária da infância em Goiás e disponibilizado on-line, podendo servir como fonte de pesquisa para estudiosos de áreas diversas.

Continue Lendo

Educação

“Nós precisamos de respeito, somos uma profissão formadora”, diz professor Wallan Silva

Publicado

em

Neste dia 15 de outubro é comemorado nacionalmente o Dia do Professor. A data celebra a importância dos profissionais da educação que auxiliam na formação de diversas pessoas.

O professor Wallan Silva, graduado em História, leciona há oito anos para alunos do ensino fundamental dois e ensino médio. Para ele, o desejo de seguir a profissão veio quando criança, sob influência de uma família de educadores.

“A minha irmã é professora, as minhas tias são todas professoras, então eu sempre convivi nesse meio. Na minha casa sempre teve provas, sempre teve livros, então isso foi despertando em mim o desejo por esse caminho”, conta.

A falta de reconhecimento é um dos principais questionamentos sobre essa profissão. Wallan destaca que além das dificuldades colocadas pelo governo como baixos salários e o não reconhecimento, a família dos alunos também tem um papel importante a se cumprir neste processo de valorização.

“Nós precisamos de apoio, e ser respeitados pela sociedade em geral. Nós precisamos de respeito, somos uma profissão formadora”, disse.

Para ele, a falta de assistência dos pais é um dos principais obstáculos que dificultam o trabalho do professor. “Se a família não começar a trabalhar junto com a gente, é impossível trabalhar em sala de aula. Porque é uma parceria entre escola e família para superar os obstáculos do dia a dia”, relata.

Entre tantos desafios, o professor de história conta que ainda assim nunca pensou em sair da profissão e ressalta que ensinar para ele é um benefício.

“Quando eu entrei na sala de aula pela primeira vez tive certeza que era o que eu queria. Você ensinar e perceber que alguém aprendeu o que você ensinou e compartilha isso, é fantástico”, destaca.

Wallan classifica a profissão como ideal para aqueles que têm o desejo de contribuir com a sociedade através do conhecimento.

“Na sala de aula você vai despertar tanto conhecimento científico e acadêmico como também a criticidade desse aluno. Se a pessoa tem o interesse de contribuir para que a sociedade seja ainda mais crítica, é a profissão ideal, porque nós somos formadores, não só de conhecimento, mas também de opinião”, ressalta.

Valorização

Em Anápolis, desde 2018 o Sindicato dos Professores da Rede Municipal busca a valorização do professor com o reajuste salarial. No dia 3 deste mês (Out), o SINPMA participou de uma reunião com a Comissão Permanente de Negociação, mas ainda não tem uma resposta definitiva.

Segundo o sindicato, foram apresentados dados da prestação das contas públicas do 2º Quadrimestre, em que o índice do limite prudencial com gastos com pessoal está em 52,34 %, abaixo do limite máximo de 54%, porém acima dos 51,3%, índice em que se dá margem para negociar reajuste salarial e outros benefícios na carreira.

Os representantes da profissão se manifestaram, questionando as ações adotadas pela administração pública municipal para cumprir os compromissos assumidos de respeito e valorização aos servidores. Um dos pontos levantados é o aumento dos cargos em comissão em número e em remuneração, que segundo os trabalhadores, está na contramão do que diz a CF art 169.

Continue Lendo

Em Alta