Conecte-se

Últimas Notícias

Manifestantes voltam às ruas de todo o país contra bloqueio de verbas na educação

Publicado

em

Estudantes de todo o país voltaram às ruas nesta quinta-feira (30.Mai) em protesto contra o bloqueio de verbas no Ministério da Educação levando faixas contra as restrições orçamentárias na pasta e com críticas a medidas adotadas pelo governo do presidente Jair Bolsonaro.

Algumas cidades, como Brasília, já realizaram os atos convocados pela União Nacional dos Estudantes (UNE), mas que contam com a participação também de sindicatos, partidos de esquerda e movimentos sociais.

No último dia 15, quando protestos tomaram as ruas do país contra o que o governo chama de contingenciamento na educação, mas os participantes classificavam de cortes, Bolsonaro chamou os manifestantes de “imbecis” e “idiotas úteis”. O presidente ainda não se pronunciou sobre os protestos desta quinta.

Já o ministro da Educação, Abraham Weintraub, divulgou um vídeo em sua conta no Twitter em que afirma respeitar os protestos, ao mesmo tempo que afirma que o ministério recebeu denúncias de que professores estavam coagindo alunos a participarem dos atos.

“Este governo acredita que as manifestações democráticas e pacíficas são um direito de todos os brasileiros, contra, a favor”, disse o ministro.

“O que não pode acontecer é coação de pessoas, que em um ambiente escolar público, criem algum constrangimento aos alunos a participarem dos eventos. Nós estamos aqui recebendo no MEC cartas e mensagens de muitos pais de alunos citando explicitamente que alguns professores, funcionários públicos, estão coagindo os alunos ou falando que eles serão punidos de alguma forma caso eles não participem das manifestações. Isso é ilegal, isso não pode acontecer”, afirmou.

Weintraub pediu ainda que alunos que estejam sendo vítimas desta suposta coação encaminhem as provas ao ministério para que sejam tomadas “as devidas medidas legais”.

Além de Brasília, capitais como Salvador, São Luís e Teresina realizavam atos contra o bloqueio de verbas na educação. Em outras grandes cidades, como São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Porto Alegre e Recife, os atos estavam marcados mais para o final da tarde.

Na capital paulista, a maior concentração dos manifestantes deve acontecer a partir das 17h no Largo da Batata, zona oeste da cidade, e não na Avenida Paulista, que abrigou atos contra o bloqueio na educação, em 15 de maio, e a favor do governo Bolsonaro no último domingo.

De acordo com o site de notícias G1, até às 13h, os protestos desta quinta aconteciam em 55 cidades de 18 Estados do país e no Distrito Federal. Ainda de acordo com o portal, no domingo, no mesmo horário, os atos pró-Bolsonaro ocupavam 52 cidades em 12 Estados e o DF.

Já no dia 15, primeira manifestação contra as restrições orçamentárias na educação, os protestos atingiam 146 cidades em 26 Estados e no Distrito Federal.

*Com informações da Reuters

Anúncio
Clique para Comentar

Deixe seu comentário

Últimas Notícias

Acidente grave na BR 153 deixa três mortos

Publicado

em

Na tarde desse domingo (14. Jul), um acidente, após uma colisão frontal de um carro de passeio em um caminhão na BR 153, km 268, município de Nova Glória, deixou três vitimas de uma família que estava em viagem.

Segundo levantamentos preliminares feitos pela Polícia Rodoviária Federal, o caminhão que seguia sentido norte, para não bater na traseira de uma carreta, invadiu a pista contrária e colidiu frontalmente com um Hyundai HBR que seguia no sentido contrário.

Com o impacto, os dois veículos saíram da rodovia e foram parar na faixa de domínio da via, no sentido norte/sul.

No carro de passeio viajavam seis pessoas, morreram na hora dois adultos e uma criança e os outros passageiros, uma adolescente e dois adultos tiveram ferimentos graves e foram encaminhados ao hospital Municipal de Ceres.

O condutor do caminhão foi submetido ao teste de bafômetro e não estava alcoolizado.

Continue Lendo

Últimas Notícias

PRF flagra carro de capacidade para 5 levando 11 pessoas, em Anápolis

Publicado

em

No final da tarde desse domingo (14.Jul), a Polícia Rodoviária Federal (PRF) flagrou na BR 060, em Anápolis, um carro de passeio, Honda Civic, com capacidade para cinco pessoas transportando 10 pessoas, além do motorista.

O carro seguia de Abadiânia para Anápolis quando foi parado pelos agentes na unidade operacional da PRF local. No interior do veículo havia 11 pessoas, sendo oito adultos e três crianças de 3, 7 e 9 anos de idade.

Além do excesso de lotação, o carro possuía pneus carecas, os passageiros não utilizavam cinto de segurança e a criança não estava na cadeirinha.

O veículo foi retido e o motorista autuado em quatro infrações de trânsito, sendo 1 média,  2 graves e 1 gravíssima, o que pode lhe render mais de 800 reais em multas e 21 pontos na CNH.

Continue Lendo

Últimas Notícias

Secretário é indiciado por acidente causado por buraco em rua de Anápolis

Publicado

em

Por

A Polícia Civil indiciou o secretário de Obras de Anápolis , Francisco Elísio Lacerda, pela morte da professora Thalita dos Santos Bueno, de 20 anos, em abril último. A vítima pilotava uma moto quando foi atropelada após passar por um buraco na rua, se desequilibrar e cair. A corporação entendeu que o buraco foi à causa do acidente.

Lacerda deve responder por homicídio culposo, quando não há intenção de matar. De acordo com a polícia, ele foi responsabilizado por omissão e negligência, uma vez que a manutenção na rua não ocorria há pelo menos quatro meses.

A corporação entendeu ainda que a motorista que atropelou a jovem não teve culpa no acidente.

O documento aponta que, segundo a perícia, o buraco que causou o acidente tinha mais de 1 metro de comprimento. Câmeras de segurança registraram a queda e o atropelamento, mas as imagens não foram divulgadas em respeito à família.

Morte

Thalita morreu no dia 15 de abril, quando passava pela Rua Joaquim Propício de Pina, no cruzamento com a Avenida Santos Dumont, uma das vias mais movimentadas do município. Ela chegou a ser socorrida, mas não resistiu.

A jovem estava no último ano do curso de pedagogia e, segundo a família, trabalhava como voluntária levando alegria a crianças através do teatro.

Continue Lendo

Em Alta