Conecte-se

Segurança

Governo do AM confirma 42 novas mortes em presídios; total chega a 57

Publicado

em

O governo do Amazonas informou que foram encontrados, nesta segunda-feira (27), 42 detentos mortos. De acordo com a secretaria estadual de Administração Penitenciária (Seap), as mortes ocorreram no Instituto Penal Antônio Trindade (Ipat), no Centro de Detenção Provisória Masculino (CDPM 1), no Complexo Penitenciário Anísio Jobim (Compaj) e na Unidade Prisional do Puraquequara (UPP), todos localizados em Manaus (AM). Os corpos apresentavam indícios de morte por asfixia.

As mortes ocorrem um dia após 15 detentos do Compaj terem sido assassinados. Ao todo, o número de mortos no sistema prisional chega a 57. 

Por meio de nota, o Ministério da Justiça e Segurança Pública disse que enviará uma Força-Tarefa de Intervenção Penitenciária (FTIP) para atuar no complexo penitenciário. Segundo o comunicado da pasta, o Departamento Penitenciário Nacional (Depen) aguarda a formalização do pedido, mas já está tomando as providências para o deslocamento da equipe. O governo do Amazonas informou que já oficializou a solicitação de atuação de uma equipe de intervenção prisional para o estado.

Mortes

Em nota divulgada nesse domingo (26), a Seap informou que as mortes ocorreram durante uma “briga entre presos” dos pavilhões 3 e 5, e que, após o acionamento do Batalhão de Choque da Polícia Militar, a situação no Compaj estava sob controle. Nenhuma fuga foi registrada e nenhum agente penitenciário foi ferido durante o tumulto de ontem. A briga começou durante o horário de visitação.

Segundo governo do estado, a Seap iniciou investigações para identificar os responsáveis pela ocorrência de domingo. As mesmas medidas serão tomadas em relação às mortes registradas nesta segunda-feira. Os resultados destas apurações serão encaminhados à Justiça. A secretaria também vai adotar medidas disciplinares nos presídios, a exemplo do que fez no Compaj. 

O Ministério da Justiça informou que alguns presos serão transferidos para penitenciárias federais.

Anúncio
Clique para Comentar

Deixe seu comentário

Segurança

Homicídios e outros oito crimes violentos caem no 1º semestre

Publicado

em

Por

O número de homicídios caiu 22% em todo o país durante o primeiro semestre deste ano, em comparação com o mesmo período de 2018. A informação foi divulgada, em Brasília, pelo Ministério da Justiça e Segurança Pública, com base em dados do Sistema Nacional de Informações de Segurança Pública, Prisionais, de Rastreabilidade de Armas e Munições, de Material Genético, de Digitais e de Drogas (Sinesp).

O resultado já havia sido parcialmente antecipado pelo presidente Jair Bolsonaro, que usou sua conta no Twitter para comemorar o que classificou como um dos pontos positivos de seu governo. Segundo o presidente, no primeiro semestre deste ano foram registrados 5.423 assassinatos a menos que no mesmo período de 2018.

Segundo o ministério, a redução no total de ocorrências também foi verificada nos outros oito tipos de crimes registrados na plataforma que reúne informações fornecidas pelos estados e pelo Distrito Federal, a partir de boletins de ocorrência das polícias civis.

Os casos de estupro caíram 12%. Tentativas de homicídio foram reduzidas em 9,4%. Também houve queda no total de latrocínios (-23,8%); lesão corporal seguida de morte (-3,2%); roubos contra instituições financeiras (-40,9%); roubo de carga (-25,7); roubo de veículo (-27%) e furto de veículo (-9,9%).

Continue Lendo

Segurança

Polícia Civil prende grupo suspeito de roubo de gado em Goiás

Publicado

em

Por

A Polícia Civil deflagrou, na última semana, a Operação Setentrional Goiano, com o objetivo de desarticular uma organização criminosa especializada no roubo de gado. Foram presas oito pessoas em diversos municípios de Goiás.

O prejuízo ocasionado às vítimas chega a quase R$ 1 milhão. A ação é realizada pela Delegacia Estadual de Repressão a Crimes Rurais (DERCR). Segundo a polícia, as investigações começaram no mês de junho, após furto de 50 cabeças de gado no município de Uruaçu. Posteriormente, outros roubos e furtos ocorreram nos municípios de São Luiz do Norte, Hidrolina, Itaguaru e Poragantu, totalizando cerca de 500 cabeças de gado.  Foram identificados os autores do crime, ocasião em que a polícia cumpriu oito mandados de prisão temporária. Os suspeitos praticaram, em tese, os crimes de roubo, furto de semoventes e organização criminosa.

Também foram cumpridos quatro mandados de busca e apreensão. Um caminhão boiadeiro, um VW/Gol, uma caminhonete e um reboque que eram utilizados para o transporte de animais foram apreendidos, além de várias cabeças de gado recuperadas, que somam R$ 50 mil.

A investigação policial descobriu que a quadrilha agia com grande incidência nas imediações da rodovia BR-153, via que favorece o transporte do produto roubo e a fuga dos envolvidos. A rodovia era utilizada com frequência para o transporte dos animais subtraídos, que eram levados para uma propriedade em São Francisco de Goiás.

Além das prisões, a Polícia Civil representou à Justiça pelo sequestro dos bens utilizados pela quadrilha, supostamente adquiridos por meio da atividade criminosa.  O nome da operação faz referência à região de atuação dos criminosos. 

Continue Lendo

Segurança

Operação apreende mais de 200 celulares no Complexo Prisional de Aparecida

Publicado

em

Uma operação envolvendo servidores da Diretoria-Geral de Administração Penitenciária (DGAP), polícias Civil e Militar, Superintendência de Polícia Técnico-Científica (SPTC), Corpo de Bombeiros e Polícia Rodoviária Federal (PRF) apreendeu mais de 200 telefones celulares, além de carregadores, chips de telefonia móvel, armas brancas, um roteador de internet e drogas na Penitenciária Odenir Guimarães (POG), no Complexo Prisional de Aparecida de Goiânia. A ação foi realizada na terça-feira (8/10).

Segundo a Secretaria de Segurança Pública (SSP), trata-se da maior varredura preventiva realizada na história do presídio. A última feita no local foi realizada há dois anos em reação a um motim iniciado num dos pavilhões da penitenciária. No total, foram vistoriadas todas as 420 celas de oito alas.

O secretário de Segurança Pública Rodney Miranda acompanhou toda a operação. Segundo ele, um dos principais objetivos é aumentar ainda mais o controle do sistema penitenciário goiano. “Fizemos uma varredura completa. Todo o trabalho realizado é fruto de um planejamento minucioso que vai contribuir para reforçar a segurança do Complexo Prisional de Aparecida de Goiânia. Todos os objetos terão sua origem apurada pelo nosso serviço de inteligência. Queremos saber como eles entraram lá. Se for comprovada qualquer participação de agentes públicos, vamos trabalhar para que sejam responsabilizados”, afirmou.

De acordo com o titular da SSP, sempre que for necessário, operações neste sentido serão realizadas dentro dos presídios goianos. “Vamos continuar atuando com muito rigor também dentro das unidades prisionais para evitar que ações criminosas sejam ordenadas de lá de dentro”, garantiu.

Rodney Miranda também reiterou que já está em andamento um planejamento para ampliar o número de vagas e melhorar a estrutura física da unidade. “Estamos trabalhando de forma conjunta com o Judiciário e o Ministério Público para melhorar nossa estrutura e garantir que a segurança nos presídios seja cada dia maior. O fortalecimento do sistema prisional é uma das principais determinações do governador Ronaldo Caiado”, arrematou.

Segundo o diretor-geral de Administração Penitenciária, coronel Wellington Urzêda, além de permitir um controle mais rígido da Penitenciária Odenir Guimarães, a operação também deve refletir na segurança nas ruas. “Essa operação impede que os detentos tenham acesso à comunicação com o lado de fora. Isso é fundamental para que possíveis ocorrências criminais sejam evitadas. Tenho certeza que a ação vai contribuir com reduções ainda mais expressivas dos indicadores criminais”, explicou.

Desde o início de 2019, o Governo de Goiás, por meio da SSP e da DGAP, realizou diversas medidas para garantir o controle efetivo das unidades prisionais do Estado. Em setembro, cerca de 200 detentos de alta periculosidade que estavam custodiados no Complexo Prisional de Aparecida de Goiânia e nas unidades de Anápolis e Formosa foram transferidos para a Unidade Prisional Especial de Planaltina de Goiás. O local, inaugurado na atual gestão, conta com os mais modernos equipamentos de segurança.

Continue Lendo

Em Alta