Conecte-se

Publicado

em

Os problemas neurológicos e comportamentais não estão restritos aos hospitais, mas aparecem nas melhores famílias tais como:

Depressão

Se sentir deprimidas em alguns momentos de suas vidas é natural. Sentimentos de decepção, frustração e até mesmo de desespero são normais diante de uma decepção e podem durar vários dias antes de ir desaparecendo gradualmente.

Mas, para algumas pessoas, esses sentimentos duram meses ou anos, causando sérios problemas no seu dia a dia.
A depressão é uma psicopatologia grave e debilitante, e afeta a maneira como uma pessoa se sente, pensa e age.

Os sintomas podem ser físicos e psicológicos:

– Inibição psíquica (apatia, pensamento lento e desmotivação),

– Isolamento social,

– Problemas de digestão,

– Problemas de sono,

– Mal-estar,

– Fadiga,

– Sofrimento moral,

– Sutil sensação de inferioridade até profundos sentimentos depreciativos.

Tratamento: Medicamentos, e acompanhamento psicológico.

Transtornos de ansiedade

É uma reação normal que temos quando estamos diante de situações de estresse e incerteza, mas se torna anormal quando vários sintomas ansiosos causam desconforto ou algum grau de comprometimento funcional na vida da pessoa. Uma pessoa com transtorno de ansiedade pode ter dificuldades em diferentes áreas da vida:

– nos relacionamentos sociais e familiares,

– no trabalho,

– na escola, etc.

Os sintomas são físicos:

– Palpitações,

–  Irritabilidade,

– Falta de ar, suor,

– Mãos frias e úmidas,

– Boca seca,

– Náuseas

– Diarreia.

O Ataque de Pânico

É um súbito início de medo ou de terror intenso associado com sentimentos de morte iminente. Os sintomas incluem falta de ar, palpitações, dor no peito e desconforto.

Tratamento: Medicamentos para aliviar os sintomas agudos do pânico e acompanhamento psicológico.

Transtorno Obsessivo-Compulsivo (TOC)

– São impulsos obsessivos e compulsivos que causam intenso sofrimento, consomem muito tempo e interferem na rotina e nas atividades diárias do paciente.

– As compulsões são comportamentos repetitivos e intencionais (apesar de quase involuntários) desempenhados em resposta a uma ideia obsessiva a fim de prevenir o desconforto de um suposto acontecimento terrível.

Os rituais mais comuns:

– Atitudes de higiene (lavar as mãos, limpar as coisas),

– Contar, Conferir, Arrumar repetidas vezes,

– Medo de se contaminar,

– Sentimentos de dúvida (por exemplo, será que eu desliguei o gás?), – – Pensamentos de fazer mal a alguém,

–  pensamentos que vão contra as crenças religiosas da pessoa, entre outros. Algumas compulsões incluem: verificar, contar, lavar, organizar repetidamente as coisas e assim por diante.

Tratamento: Medicação para atuar sobre o sistema nervoso são indicadas para reduzir os sintomas e acompanhamento psicólogo complementam o tratamento.

Transtorno bipolar

– Elevação do ânimo e um aumento da energia e,

– Rebaixamento patológico do humor e uma redução da disposição e da atividade (depressão).

– É uma doença recorrente e de curso irregular, podendo tornar difícil determinar exatamente se o paciente melhora com o tratamento ou devido à manifestação do curso naturalmente oscilante da doença.

Tratamento: Medicação para estabilizar o humor e acompanhamento psicológico.

Doença de Alzheimer

– É marcada pela perda da memória, associada à deterioração das funções intelectuais, emocionais e cognitivas.

– Tem caráter progressivo e começa discretamente, com leves esquecimentos e confusão com datas, evoluindo para dificuldade de realizar tarefas domésticas, falar e manter o raciocínio lógico.

– Comum em idosos.

Tratamento: não há cura, mas alguns medicamentos podem frear os sintomas em fase inicial. A estimulação do doente, com atividades físicas e mentais, deve ser constante e a participação da família.

Os Transtornos Fóbicos

Muitas pessoas admitem ter medo de cobras ou aranhas, mas conseguem manter esse medo sob controle. A pessoa que sofre uma fobia não é capaz de controlar o medo.

Sentem um medo irracional quando se deparam com um objeto, um animal ou uma situação que estimula sua fobia, podendo desenvolver um comportamento evitativo.
Existem diferentes estímulos fóbicos que desencadeiam esse medo irracional:

– Viajar de avião,

– Dirigir um carro,

– Elevadores,

– Palhaços,

– Dentistas,

– Sangue,

– Tempestades, etc.

Tratamento: Medicamentos para reduzir a ansiedade e acompanhamento psicológico.

A Fobia Social

É um transtorno de ansiedade muito comum, e não deve ser confundido com timidez.

Medo irracional de situações de interação social.

Quem sofre deste distúrbio sente extrema ansiedade pela possibilidade de:

– Ser julgado pelos outros,

– Ser o centro das atenções,

– Ser criticado ou humilhado,

– Pode sentir esse medo até mesmo ao falar no telefone.

– Não conseguem:

– Fazer apresentações em público,

– Comer em restaurantes ou na frente de alguém,

– Ir a eventos sociais,

– Conhecer novas pessoas.

Tratamento: Medicamentos para reduzir a ansiedade e acompanhamento psicológico.

O Transtorno de Estresse Pós-Traumático (TEPT)

Ocorre quando a pessoa foi exposta a um evento traumático que lhe causou uma experiência psicológica estressante ou de incapacidade.

Os sintomas:

– Pesadelos,

– Sentimentos de raiva,

– Irritabilidade,

– Cansaço emocional,

–  Isolamento, entre outros e, geralmente ocorrem quando a pessoa revive o evento traumático. A pessoa procura evitar situações ou atividades que a faz se lembrar do que causou o trauma.

Tratamento: Medicamentos para reduzir a ansiedade e acompanhamento psicológico.

Transtorno Alimentar

Existem diferentes tipos de transtornos alimentares. Os mais comuns são:

Anorexia Nervosa

Caracterizada pela obsessão do controle da quantidade de comida que se consume.

Sintomas:

-Distorção da imagem corporal,

– Restrição a ingestão de alimentos fazendo dietas, jejuns e até mesmo exercícios físicos excessivos,

– Dificilmente comem e o pouco de alimento que ingerem lhes provoca uma intensa sensação de desconforto.

Bulimia Nervosa

Ingestão de alimentos em grande quantidade seguido por indução de vômitos, laxante para eliminar as calorias. Após esses episódios, é comum que a pessoa se sinta triste, mal humorada e tenha sentimentos de auto compaixão.

Transtorno de Compulsão Alimentar Periódica

É uma doença grave onde a pessoa consome com freqüência grandes quantidades de alimentos e só depois se dá conta de que perdeu completamente o controle durante a compulsão. Depois de comer em excesso, a pessoa se sente ansiosa e angustiada e daí aparece a preocupação com o peso.

Tratamento: Medicamentos para reduzir a ansiedade e acompanhamento psicológico.

Transtornos Psicóticos

São psicopatologias graves em que as pessoas perdem o contato com a realidade. Dois dos principais sintomas são os delírios e as alucinações.

Os delírios são crenças falsas, como a idéia de que alguém está seguindo. Alucinações são percepções falsas, tais como ouvir, ver ou sentir algo que não existe. 
Ao contrário dos delírios, que são equívocos da realidade sobre algo existente ou um objeto, ou seja, uma distorção de um estímulo externo, as alucinações são totalmente inventadas pela mente e não são produto da distorção de nenhum objeto presente, percebe-se algo sem levar em conta os estímulos externos. Por exemplo, ouvir vozes que saem de um plugue.

Os distúrbios psicóticos mais comuns são:

– O Transtorno Delirante ou paranóia é um transtorno psicótico caracterizado por uma ou várias idéias delirantes. Onde essas pessoas estão totalmente convencidas de coisas que não são verdadeiras. Por exemplo, que alguém lhes persegue para prejudicá-los.

Tratamento: Medicamentos para reduzir a ansiedade e acompanhamento psicológico.

Esquizofrenia

A esquizofrenia é outro transtorno psicótico, mas neste caso, a pessoa sofre alucinações e pensamentos perturbantes que a isolam de atividades sociais.

A esquizofrenia é uma doença muito grave, mas há tratamentos bastante eficazes para que esses pacientes possam desfrutar sua vida da melhor forma possível.

Tratamento: Medicamentos para reduzir a ansiedade e acompanhamento psicológico.

Os transtornos de personalidade

Um transtorno de personalidade é um padrão rígido e permanente no comportamento de uma pessoa, que gera desconforto, dificuldades em seus relacionamentos e em tudo a sua volta. Os transtornos de personalidade começam na adolescência ou início da idade adulta.
Os mais comuns são:

Transtorno Personalidade Borderline (TPB)

O transtorno de personalidade borderline se caracteriza por uma personalidade fraca, que muda continuamente e duvida de tudo. Os momentos de calma podem se tornar, instantaneamente, em momentos de raiva, ansiedade ou desespero. Essas pessoas vivem suas emoções ao máximo, e seus relacionamentos amorosos são intensos, pois eles tendem a idolatrar a outra pessoa ao extremo.
Alguns de seus sintomas incluem: uma raiva intensa junto com a incapacidade de controlá-la, esforços frenéticos para evitar o abandono real ou imaginário, alternância entre extremos de idealização e desvalorização nas relações interpessoais, auto-imagem instável e sentimentos crônicos de vazio.

Tratamento: Medicamentos para reduzir a ansiedade e acompanhamento psicológico.

Transtorno de Personalidade Anti-Social (TPAS)

Mais conhecido como psicopatia ou sociopatia, se caracteriza pela tendência de não interagir na sociedade. Os diferentes sintomas e comportamentos que caracterizam o TPAS incluem: roubo, agressão, tendência à solidão, violência, mentiras. Além disso, as pessoas afetadas por esse transtorno tendem a serem tímidas, deprimidas ou depressivas e sentem ansiedade social devido ao medo de serem rejeitadas. Apesar disso, a terapia psicológica é muito eficaz no tratamento dos problemas de anti-sociais.

Tratamento: Medicamentos para reduzir a ansiedade e acompanhamento psicológico.

Onde encontrar assistência psiquiátrica e acompanhamento psicológico gratuito?

– CAPS

– Centros Universitários – Departamento de clínica – Escola.

O IPPS – Instituto de Psicanálise, Psicologia e Saúde, oferece acompanhamento psicológico com valores acessíveis.

Os interessados poderão entrar em contato para agendamento de triagem através do telefone (62) 3311-5218.

End. Rua Arlindo Costa numero 104, Bairro Jundiaí, Anápolis -GO.

 

 

Psicóloga-Psicanalista: Ellen Muniz

Administradora e fundadora do IPPS

*Este artigo de opinião não reflete a editoria deste veículo de comunicação. Seu conteúdo é de responsabilidade do autor.

 

 

 

Anúncio
Clique para Comentar

Deixe seu comentário

Opinião

Moda e Beleza por Armando Gadelha

O publicitário e fotógrafo Rafael Vilela, comemora mais uma primavera

Publicado

em

Continue Lendo

Opinião

Sinalização digital chega às igrejas

Publicado

em

A sinalização digital invadiu aeroportos, lojas, o transporte público e agora está chegando às igrejas. Esse conceito de comunicação, adaptado a rotina eclesial, traz um tom moderno as entradas de templos religiosos e secretarias, além de facilitar a divulgação de informações. O espaço pode ser aproveitado também para veicular mensagens de reflexão.

Digital Signage” ou sinalização digital é uma ferramenta de comunicação moderna altamente eficaz que utiliza displays digitais para a exibição de mídia informativa ou promocional em qualquer estabelecimento, especialmente em locais de entretenimento ou espera forçada, como, lotéricas, universidades, supermercados, restaurantes, academias, postos de combustíveis, shoppings, clínicas, entre outros.

Diferente de um canal de televisão que comunica uma variedade de informações ao máximo de pessoas, a sinalização digital é feita e transmitida para um público restrito com um foco mais dirigido, diretamente no seu ‘ponto de consumo’. É de interesse desse público dar atenção ao que está sendo exibido, seja para conferir o horário de atendimento ou a promoção do dia.

As vantagens de utilizar essa tecnologia dentro das igrejas podem ser inúmeras, como, a redução de custos com impressão de folhetos informativos, substituir o mural de avisos por algo que seja mais atrativo, atualização em tempo real. Além de ser comprovado um dos formatos de comunicação mais eficazes, e muito mais.


por Eduardo Brandão
Continue Lendo

Opinião

Desafios da comunicação na ‘Era Fake News’

Publicado

em

O século XXI trouxe inúmeras mudanças para a nossa sociedade, dentre elas, na comunicação que, com certeza, é uma das mais significativas. Com a popularização da internet chegamos à era digital, onde as notícias são espalhadas em um prazo mínimo de tempo, podendo viralizar em segundos e sem muitas vezes ter sido checada à veracidade dos fatos.

Um dos maiores desafios do jornalista na nossa sociedade atual é o combate às famosas Fake News, que tem se intensificado ao longo dos anos e ficou ainda mais forte durante desde as eleições presidenciais no Brasil em 2018. Essas ‘notícias’ falsas podem estar no facebook, no instagram ou no twitter, mas na grande maioria das vezes elas viralizam no whatsapp.

Se você é alguém que não checa a veracidade dos fatos antes de compartilhar, provavelmente você já propagou uma Fake News, muitas vezes sem ter consciência disso. Isso acontece porque as pessoas tendem a acreditar mais facilmente em informações que condizem com o seu modo de pensar, o que explica também o porquê essa ‘onda’ cresceu tanto durante as eleições.

A era digital trouxe incontáveis benefícios á população, mas como tudo tem seu lado negativo, com essas mudanças, hoje qualquer pessoa com seu celular pode criar uma notícia falsa em benefício de si mesmo e viralizar nas mídias sociais, uma vez que cai na rede dificilmente ela poderá ser desmentida. É como diria a frase do ministro de propaganda de Adolf Hitler, Joseph Goebbels “Uma mentira repetida mil vezes torna-se verdade”.

A internet deu a pessoas comuns o poder de divulgar informações de maneira amadora, mas não foi apenas isso que afetou as bases do jornalismo. Desde 2009 o diploma acadêmico não é mais uma obrigatoriedade da profissão, o que resulta em pessoas despreparadas no mercado de trabalho principalmente para lidar com os desafios da comunicação.

Vivendo em um momento em que qualquer um pode divulgar informações, o papel do jornalista com formação acadêmica se tornou ainda mais importante, pois, é ele quem investiga, questiona, apura, luta para acabar com essa onda de Fake News e levar a população notícias de confiança. Isso não quer dizer que todo jornalista com diploma vai ter total comprometimento com o interesse público, mas é preciso que haja o mínimo de preparação para atuar em uma área tão importante.

Esses conteúdos noticiosos de origem falsa que são espalhados, não são como uma ‘barrigada’, um erro de apuração por parte de quem divulgou. Quem cria essas ‘noticias’ e jogam nas redes fazem isso com o propósito de propagar um fato falso muitas vezes em beneficio de si próprio.

Portanto, em tempos como esse, é necessário desconfiar de qualquer notícia que se recebe nas redes sociais, em especial no whatsapp. Por mais verdadeira que pareça, por mais que você tenha recebido da sua amiga mais confiável, antes de pensar em compartilhar verifique se de fato a noticia é verídica. Mesmo se você acredita que essas informações possam ajudar alguém ou que seja algo em que você queira acreditar, busque em fontes jornalísticas de confiança primeiro. Propagar uma notícia falsa pode trazer sérios danos, é preciso ser criterioso com o que divulgamos.

Evite repassar informações sem checar a veracidade, uma boa maneira de verificar se um fato é verdadeiro, é procurar uma mesma notícia em diferentes veículos de comunicação que sejam de confiança e que tenha credibilidade, se, por exemplo, diferentes grandes sites estão noticiando o mesmo fato, as chances de ser verídico são maiores. Desconfie sempre de notícias com títulos sensacionalistas para chamar a atenção do receptor, nem sempre é ‘tudo isso’ mesmo.

Continue Lendo

Em Alta