Conecte-se

Opinião

Desafios da comunicação na ‘Era Fake News’

Publicado

em

O século XXI trouxe inúmeras mudanças para a nossa sociedade, dentre elas, na comunicação que, com certeza, é uma das mais significativas. Com a popularização da internet chegamos à era digital, onde as notícias são espalhadas em um prazo mínimo de tempo, podendo viralizar em segundos e sem muitas vezes ter sido checada à veracidade dos fatos.

Um dos maiores desafios do jornalista na nossa sociedade atual é o combate às famosas Fake News, que tem se intensificado ao longo dos anos e ficou ainda mais forte durante desde as eleições presidenciais no Brasil em 2018. Essas ‘notícias’ falsas podem estar no facebook, no instagram ou no twitter, mas na grande maioria das vezes elas viralizam no whatsapp.

Se você é alguém que não checa a veracidade dos fatos antes de compartilhar, provavelmente você já propagou uma Fake News, muitas vezes sem ter consciência disso. Isso acontece porque as pessoas tendem a acreditar mais facilmente em informações que condizem com o seu modo de pensar, o que explica também o porquê essa ‘onda’ cresceu tanto durante as eleições.

A era digital trouxe incontáveis benefícios á população, mas como tudo tem seu lado negativo, com essas mudanças, hoje qualquer pessoa com seu celular pode criar uma notícia falsa em benefício de si mesmo e viralizar nas mídias sociais, uma vez que cai na rede dificilmente ela poderá ser desmentida. É como diria a frase do ministro de propaganda de Adolf Hitler, Joseph Goebbels “Uma mentira repetida mil vezes torna-se verdade”.

A internet deu a pessoas comuns o poder de divulgar informações de maneira amadora, mas não foi apenas isso que afetou as bases do jornalismo. Desde 2009 o diploma acadêmico não é mais uma obrigatoriedade da profissão, o que resulta em pessoas despreparadas no mercado de trabalho principalmente para lidar com os desafios da comunicação.

Vivendo em um momento em que qualquer um pode divulgar informações, o papel do jornalista com formação acadêmica se tornou ainda mais importante, pois, é ele quem investiga, questiona, apura, luta para acabar com essa onda de Fake News e levar a população notícias de confiança. Isso não quer dizer que todo jornalista com diploma vai ter total comprometimento com o interesse público, mas é preciso que haja o mínimo de preparação para atuar em uma área tão importante.

Esses conteúdos noticiosos de origem falsa que são espalhados, não são como uma ‘barrigada’, um erro de apuração por parte de quem divulgou. Quem cria essas ‘noticias’ e jogam nas redes fazem isso com o propósito de propagar um fato falso muitas vezes em beneficio de si próprio.

Portanto, em tempos como esse, é necessário desconfiar de qualquer notícia que se recebe nas redes sociais, em especial no whatsapp. Por mais verdadeira que pareça, por mais que você tenha recebido da sua amiga mais confiável, antes de pensar em compartilhar verifique se de fato a noticia é verídica. Mesmo se você acredita que essas informações possam ajudar alguém ou que seja algo em que você queira acreditar, busque em fontes jornalísticas de confiança primeiro. Propagar uma notícia falsa pode trazer sérios danos, é preciso ser criterioso com o que divulgamos.

Evite repassar informações sem checar a veracidade, uma boa maneira de verificar se um fato é verdadeiro, é procurar uma mesma notícia em diferentes veículos de comunicação que sejam de confiança e que tenha credibilidade, se, por exemplo, diferentes grandes sites estão noticiando o mesmo fato, as chances de ser verídico são maiores. Desconfie sempre de notícias com títulos sensacionalistas para chamar a atenção do receptor, nem sempre é ‘tudo isso’ mesmo.

Anúncio
Clique para Comentar

Deixe seu comentário

Opinião

Surfando na onda da revolução digital

Publicado

em

Por

Vivemos atualmente em dois mundos paralelos, o real e o virtual. A tecnologia invadiu nossas casas, nossos relacionamentos e claro, nossos negócios. Há quem enxergue essa invasão como algo ruim e há quem veja nela uma ótima oportunidade de otimizar processos, alavancar resultados e obter lucros.

Faço parte da segunda turma. Tanto que o uso da tecnologia é indispensável para o sucesso da minha empresa. Nós compramos medicamentos das indústrias farmacêuticas e vendemos para clientes do Brasil inteiro. Cerca de 60% das nossas vendas são para o mercado privado – grandes grupos, hospitais independentes e demais clínicas.


Na maioria dos casos, o processo de venda de medicamentos para clientes privados ocorre por meio de plataformas digitais, onde os clientes (hospitais) informam suas necessidades de medicamentos (descrições e quantidades) e os interessados apresentam suas ofertas.


Hoje, a maior plataforma brasileira é a Bionexo, que agrega aproximadamente 40% do mercado privado. Existem cerca de 2.000 pedidos de cotação por dia e cada pedido de cotação tem, em média, 20 produtos. Significa que, diariamente, existem 40.000 pedidos de cotação, só no Bionexo, para identificar o medicamento, calcular o preço e enviar a oferta na plataforma.

Utilizamos um algoritmo de IA para ler a descrição dos produtos na plataforma. Essa ferramenta, combinada com um software de integração com a plataforma, responde todas as propostas instantaneamente, perfeitamente e pelo mesmo preço de responder a uma única proposta.
Essa solução agregou valor aos negócios, pois nos permitiu alcançar um número de clientes que só seria possível com algumas centenas de funcionários. Como forma de aprimoramento complementar da venda de medicamentos, estamos desenvolvendo um algoritmo para oferecer, com base nos itens mais solicitados no Bionexo e em outras plataformas, produtos complementares que normalmente são comprados pelos hospitais, de duas maneiras. 

O primeiro analisa os produtos demandados em cada licitação do cliente específico e lista os produtos que seriam demandados. Já a segunda maneira compara a lista de produtos demandados com todas as propostas da plataforma, como se você comprasse um pão em um supermercado e o supermercado oferecesse também manteiga, queijo e etc. 
Ambas as análises são possíveis devido à disponibilidade dos dados nas plataformas. O objetivo da nova implementação é o aumento do número de medicamentos em cada pedido, consequentemente melhorando o ticket médio e, consequentemente, o faturamento como um todo.

Outra implementação no forno é precificação dinâmica. Considerando que o frete é um componente muito importante do custo dos medicamentos que vendemos e considerando que ele depende do valor da mercadoria, do peso, do volume e do endereço do cliente, podemos capitalizar os benefícios das plataformas através da implementação de uma ferramenta de cálculo de frete. Essa ferramenta nos permitirá calcular o custo exato do frete, evitando perdas devido a preços abaixo do custo ou perda de vendas devido a preços desnecessariamente elevados. 

Valter Luis Macedo de Carvalhaes Pinheiro é empresário na Futura Distribuidora de Medicamentos e Produtos de Saúde Ltda

Continue Lendo

Opinião

Moda e Beleza por Armando Gadelha

O publicitário e fotógrafo Rafael Vilela, comemora mais uma primavera

Publicado

em

Continue Lendo

Opinião

Sinalização digital chega às igrejas

Publicado

em

A sinalização digital invadiu aeroportos, lojas, o transporte público e agora está chegando às igrejas. Esse conceito de comunicação, adaptado a rotina eclesial, traz um tom moderno as entradas de templos religiosos e secretarias, além de facilitar a divulgação de informações. O espaço pode ser aproveitado também para veicular mensagens de reflexão.

Digital Signage” ou sinalização digital é uma ferramenta de comunicação moderna altamente eficaz que utiliza displays digitais para a exibição de mídia informativa ou promocional em qualquer estabelecimento, especialmente em locais de entretenimento ou espera forçada, como, lotéricas, universidades, supermercados, restaurantes, academias, postos de combustíveis, shoppings, clínicas, entre outros.

Diferente de um canal de televisão que comunica uma variedade de informações ao máximo de pessoas, a sinalização digital é feita e transmitida para um público restrito com um foco mais dirigido, diretamente no seu ‘ponto de consumo’. É de interesse desse público dar atenção ao que está sendo exibido, seja para conferir o horário de atendimento ou a promoção do dia.

As vantagens de utilizar essa tecnologia dentro das igrejas podem ser inúmeras, como, a redução de custos com impressão de folhetos informativos, substituir o mural de avisos por algo que seja mais atrativo, atualização em tempo real. Além de ser comprovado um dos formatos de comunicação mais eficazes, e muito mais.


por Eduardo Brandão
Continue Lendo

Em Alta