Conecte-se

Cidades

Aneel aprova redução nas contas de luz em quatro distribuidoras

Publicado

em

A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) aprovou a redução nas tarifas de energia das distribuidoras Celesc, que atua em Santa Catarina, da Elektro Redes, que atende os estados de São Paulo e Mato Grosso do Sul, Energisa Paraíba, que atende aos paraibanos e a Cemar, do Maranhão.

Ao revisar as tarifas da Celesc, a Aneel aplicou uma redução de 7,8% para as tarifas de energia dos consumidores atendidos pela empresa, válida a partir de 22 de agosto. O efeito para os consumidores residenciais será a redução de 9,77%. Para os atendidos na baixa tensão, como agropecuária e cooperativas rurais, será de 9,16% e para os atendidos na alta tensão, como indústrias e shoppings, a redução será de 5,53%. A empresa atende 3 milhões de unidades consumidoras localizadas em 264 municípios do estado de Santa Catarina. 

Ao calcular o reajuste, conforme estabelecido no contrato de concessão, a Agência considera a variação de custos associados à prestação do serviço. No caso da Celesc a Aneel informou que  o pagamento do empréstimo da Conta ACR e ajustes em rubrica da Conta de Desenvolvimento Energético (CDE) contribuíram para reduzir o reajuste em aproximadamente -6,87%. Houve ainda redução dos custos com aquisição de energia, – 0,67% no cálculo do reajuste.

Já para os consumidores atendidos pela Elektro Redes a redução médias nas tarifas de energia será de 8,32%, válida a partir de 27 de agosto. Para os consumidores residenciais a redução será maior, de 11,79%. Para os clientes atendidos em baixa tensão, o impacto será de menos 11,17% e para os atendidos em alta tensão, a redução será de 2,89%. A concessionária atende 2,6 milhões de unidades consumidoras, localizadas em 223 municípios do estado de São Paulo e cinco do Mato Grosso do Sul.

Para os consumidores atendidos pela Energisa Paraíba, a tarifa será reduzida, em média, em -4,87%. As novas tarifas entram em vigor no dia 28 de agosto para 1,4 milhão de unidades consumidoras em 216 municípios paraibanos.O efeito para os consumidores residenciais a redução será de 4,78%. Para os atendidos na baixa tensão, como agropecuária e cooperativas rurais, a queda será de 4,23% e para os atendidos na alta tensão, como indústrias e shoppings, a redução será de 4,40%.

Já na Cemar, a redução média foi de -3,82% para 2,5 milhões de unidades consumidoras de 217 municípios Maranhenses. A alteração na tarifa também começa a valer dia 28 de agosto.O efeito para os consumidores residenciais a redução será de 4,16%. Para os atendidos na baixa tensão, como agropecuária e cooperativas rurais, a queda será de 3,81% e para os atendidos na alta tensão, como indústrias e shoppings, a redução será de 3.89%.

“Dentre os itens que mais contribuíram para a redução tarifária, observa-se a cobertura dos encargos setoriais que colaborou com o abatimento de aproximadamente 6,18%. Destaque para o pagamento do empréstimo da Conta ACR e ajustes em rubrica (retirada CDE Decreto) da Conta de Desenvolvimento Energético (CDE)”, disse a Aneel.

Reduções nas tarifas

As últimas revisões tarifárias da Aneel têm sido marcadas, em diversas ocasiões, pela aplicação de índices de reajuste negativos. O principal motivo foi a antecipação, em março, de uma negociação envolvendo a quitação do saldo da chamada Conta-ACR (Ambiente de Contratação Regulado), que vai permitir retirar R$ 8,4 bilhões das tarifas de energia elétrica até 2020, dos quais, R$ 6,4 bilhões neste ano. De acordo com a Aneel, isso representa uma atenuação média dos reajustes das tarifas de 3,7% neste ano e de 1,2% em 2020.

“A Conta-ACR foi um mecanismo de repasse de recursos às distribuidoras para cobertura dos custos com exposição involuntária no mercado de curto prazo e o despacho de termelétricas entre fevereiro e dezembro de 2014. Para lastrear a conta, a CCEE [Câmara de Comercialização de Energia Elétrica] foi autorizada a contratar operações de crédito com os bancos, ressarcidas pelos consumidores a partir de novembro de 2015, mediante recolhimento de encargo na tarifa de energia elétrica até abril de 2020”, disse a Aneel.

Parte dos recursos foi usada para pagar os credores e outra parte ficou guardada em uma conta de reserva. Segundo a agência reguladora, em setembro deste ano, o saldo dessa conta de reserva será suficiente para cobrir o saldo devedor.

Anúncio
Clique para Comentar

Deixe seu comentário

Cidades

Ex-deputado Carlos Antônio assume o Observatório de Segurança Pública de Anápolis

Publicado

em

Nesta terça-feira (17. Set), o ex-deputado estadual Carlos Antônio tomou posse do cargo municipal em comissão de Diretor de Observatório da Companhia Municipal de Trânsito e Transportes, sendo o sucessor do Coronel Rubens Maia e Glayson Reis.

Carlos Antônio é radialista, e em 2004 foi candidato a vereador em Anápolis PSDB com 1.277 votos, e foi eleito em 2008 como o parlamentar mais votado para a Câmara municipal da cidade. Neste mandato, foi vice-presidente da Câmara nos anos de 2009 e 2010.

Em 2010, concorreu a deputado estadual e obteve 17.392 votos, cargo em que permaneceu por oito anos, em dois mandatos.

Carlos Antônio começou sua carreira em 1987, na Rádio Capital de Brasília. Atuou em rádios das cidades de Anápolis, Araguari (MG), Caldas Novas e Goiânia.

Continue Lendo

Cidades

Lei propõe medidas para proteger mulher contra assédio em Anápolis

Publicado

em

Foi aprovado, nesta segunda-feira (16. Set), na Câmara Municipal de Anápolis, o projeto de lei que propõe a bares, restaurantes, casas noturnas e afins que criem medidas preventivas e de auxílio à mulher em situação de assédio ou violência. A matéria é de autoria da Vereadora Thaís Souza (PSL) e segue para a sanção do Executivo.

Após a validação, os estabelecimentos destas categorias deverão oferecer treinamento dos funcionários para identificação de situações de assédio e/ou violência contra a mulher, espaço reservado para que a vítima esteja em local seguro até a chegada de autoridades, além de acompanhamento até o veículo de transporte quando solicitado.

Deverá haver também cartazes nos banheiros femininos ou em local visível com a seguinte frase: “Este estabelecimento conta com treinamento para auxílio a mulheres em situação de assédio e violência, FALE CONOSCO”.

Na justificativa, o texto afirma que o projeto de lei tem o objetivo de auxiliar as mulheres na busca por ajuda junto aos estabelecimentos comerciais, evitando o constrangimento e a violência.

Continue Lendo

Cidades

Vereadores de Anápolis cobram melhorias da Saneago

Publicado

em

Os moradores de Anápolis usam as redes sociais para registrar a falta de água em vários bairros da cidade. Na semana passada, um vídeo feito pela população mostrou a água que jorrava dos canos da Saneago para a rua, no Bairro de Lourdes.

O desperdício e a falta de água nas torneiras dos anapolinos foram motivos de debates entre os vereadores na sessão desta segunda-feira (16.Set). O pastor Elias informou que solicitou uma audiência pública com as presenças de representantes da Saneago.

“Não adianta só pedir explicação da Tânia, ela não pode resolver, temos que chamar quem pode ajudar”, destacou o parlamentar se referindo a Tânia Valeriano, gerente da Saneago em Anápolis.

O presidente da Câmara, Leandro Ribeiro (PTB), também criticou os serviços da Saneago em Anápolis. “Os canos são velhos, toda a infraestrutura não recebe investimentos por muito tempo aqui na cidade, mas fizeram a barragem do João Leite para abastecer Goiânia. Precisamos lutar pela nossa cidade”, falou o parlamentar.

Os vereadores presentes também pediram soluções para Anápolis para que o abastecimento de água esteja normalizado em todas as regiões.

Continue Lendo

Em Alta