Conecte-se

Opinião

Alonso deixa F1: Quem perde mais?

Publicado

em

Após 17 temporadas o bicampeão anuncia sua despedida. Fernando Alonso, que completou 37 anos em julho, deixa a F1 acumulando 32 vitórias, 22 poles e 97 pódios até agora.

Além de seus dois títulos, em 2005 ele se tornou o mais jovem campeão mundial na história da F1, ele foi vice-campeão por três vezes. Fernando é tido por muitos como o melhor piloto do atual grid e um dos maiores de toda a história. Mas por que um multi-campeão que ainda está em alto nível decide deixar a principal categoria da F1? (Foto: Veja)

Fernando Alonso é considerado pela maioria (me incluo nesta) como o mais completo piloto da atual F1. Quando entrou na F1 há 18 anos, como piloto de testes da Benetton, ele talvez não tivesse ideia do tamanho da história que construiria. Fernando vai embora como bicampeão, colecionador de inimigos, respeitado por todos, sem espaço em equipes grandes, querido pelo público e midiático ao extremo. Alonso é um personagem, é amado e odiado. É tão talentoso quanto problemático, toma as melhores decisões dentro da pista e as piores fora dela. Sem dúvidas, um dos maiores e melhores produtos que a F1 criou nas últimas duas décadas.

(Fernando Alonso conquista vitória no GP de Mônaco em 2006 – Foto: Leonardo Contesini)

Alonso esteve no lugar certo na hora certa em 2005 quando foi o campeão mais jovem da história em Interlagos (recorde anterior de Emerson Fittipaldi) contra Michael Schumacher e repetiu o feito em 2006 se tornando também o mais jovem bicampeão da categoria.

Neste ano em 2006, Alonso sagrou-se bicampeão também em Interlagos onde os brasileiros viram Felipe Massa vencer após treze anos sem o hino nacional no pódium, tive o privilégio de participar da prova de abertura daquele ano pela F-Renault e ver tudo isto de perto. Após dois anos de glória Alonso começa as escolhas erradas. Em 2007 o piloto espanhol transferiu-se para a McLaren e perdeu o título para o protegido do time e estreante Lewis Hamilton. No ano seguinte retorna para a Renault e junto a Nelson Ângelo Piquet participam de um dos episódios mais vergonhosos da história do automobilismo. Fernando então se muda para a melhor equipe de 2008, Ferrari que em 2009 não consegue superar a façanha da equipe Brawn GP. Sem a chance de ser campeão após 4 anos de domínio da Red Bull, Fernando retorna a McLaren em 2015 para uma aposta de risco, a volta do casamento perfeito McLaren-Honda dos tempos de glória com Senna. O risco se confirmou e a parceria Motor-Chassis foi horrorosa e se arrasta até hoje.

O Espanhol nunca escondeu sua vontade de conquistar a tríplice Coroa (GP de Mônaco de F1, Le Mans e 500 Milhas de Indianápolis). Em 2017 ele estreou nas 500 Milhas de Indianápolis e quase chegou a sua tão sonhada vitória após liderar por várias voltas e ter seu motor (Honda) fundido. Neste ano, ele estreou e venceu as 24h de Le Mans. Dito isto, é uma aposta certa que Alonso deve migrar para a F-Indy em 2019 para tentar o único título que não tem, as 500 Milhas de Indianápolis.

(Vitória nas 24h de Le Mans em 2018 – Foto: Autosport.com)

É o melhor talento que a F1 produziu após Michael Schumacher, é um dos maiores nomes da história do automobilismo e sem dúvidas um dos pilotos mais famosos de todos os tempos. Alonso ainda está em grande forma e vai voltar as vitórias que a tanto tempo não conquista. Perde a F1, perdem os fãs da categoria e ganha Alonso, que reencontrará a felicidade e muito provável que se torne o primeiro piloto a se igualar a Grahan Hill, o único detentor da tríplice coroa do automobilismo.

 

Rodolpho Santos Iniciou sua carreira aos sete anos de idade. Foi tetracampeão Goiano de kart e esteve entre os 6 melhores kartistas do país por dois anos. No automobilismo participou de categorias de monoposto como F-Ford e F-Renault conquistando pódios em ambas e F3 Sul-americana onde foi o 2º melhor estreante com três pódios em sua primeira temporada. Participou de testes coletivos na Europa da extinta F-Master (atual GP3) e fez uma temporada completa na GT3 a bordo de uma Ferrari 430 onde também acumulou pódios.

Anúncio
Clique para Comentar

Deixe seu comentário

Opinião

Surfando na onda da revolução digital

Publicado

em

Por

Vivemos atualmente em dois mundos paralelos, o real e o virtual. A tecnologia invadiu nossas casas, nossos relacionamentos e claro, nossos negócios. Há quem enxergue essa invasão como algo ruim e há quem veja nela uma ótima oportunidade de otimizar processos, alavancar resultados e obter lucros.

Faço parte da segunda turma. Tanto que o uso da tecnologia é indispensável para o sucesso da minha empresa. Nós compramos medicamentos das indústrias farmacêuticas e vendemos para clientes do Brasil inteiro. Cerca de 60% das nossas vendas são para o mercado privado – grandes grupos, hospitais independentes e demais clínicas.


Na maioria dos casos, o processo de venda de medicamentos para clientes privados ocorre por meio de plataformas digitais, onde os clientes (hospitais) informam suas necessidades de medicamentos (descrições e quantidades) e os interessados apresentam suas ofertas.


Hoje, a maior plataforma brasileira é a Bionexo, que agrega aproximadamente 40% do mercado privado. Existem cerca de 2.000 pedidos de cotação por dia e cada pedido de cotação tem, em média, 20 produtos. Significa que, diariamente, existem 40.000 pedidos de cotação, só no Bionexo, para identificar o medicamento, calcular o preço e enviar a oferta na plataforma.

Utilizamos um algoritmo de IA para ler a descrição dos produtos na plataforma. Essa ferramenta, combinada com um software de integração com a plataforma, responde todas as propostas instantaneamente, perfeitamente e pelo mesmo preço de responder a uma única proposta.
Essa solução agregou valor aos negócios, pois nos permitiu alcançar um número de clientes que só seria possível com algumas centenas de funcionários. Como forma de aprimoramento complementar da venda de medicamentos, estamos desenvolvendo um algoritmo para oferecer, com base nos itens mais solicitados no Bionexo e em outras plataformas, produtos complementares que normalmente são comprados pelos hospitais, de duas maneiras. 

O primeiro analisa os produtos demandados em cada licitação do cliente específico e lista os produtos que seriam demandados. Já a segunda maneira compara a lista de produtos demandados com todas as propostas da plataforma, como se você comprasse um pão em um supermercado e o supermercado oferecesse também manteiga, queijo e etc. 
Ambas as análises são possíveis devido à disponibilidade dos dados nas plataformas. O objetivo da nova implementação é o aumento do número de medicamentos em cada pedido, consequentemente melhorando o ticket médio e, consequentemente, o faturamento como um todo.

Outra implementação no forno é precificação dinâmica. Considerando que o frete é um componente muito importante do custo dos medicamentos que vendemos e considerando que ele depende do valor da mercadoria, do peso, do volume e do endereço do cliente, podemos capitalizar os benefícios das plataformas através da implementação de uma ferramenta de cálculo de frete. Essa ferramenta nos permitirá calcular o custo exato do frete, evitando perdas devido a preços abaixo do custo ou perda de vendas devido a preços desnecessariamente elevados. 

Valter Luis Macedo de Carvalhaes Pinheiro é empresário na Futura Distribuidora de Medicamentos e Produtos de Saúde Ltda

Continue Lendo

Opinião

Moda e Beleza por Armando Gadelha

O publicitário e fotógrafo Rafael Vilela, comemora mais uma primavera

Publicado

em

Continue Lendo

Opinião

Sinalização digital chega às igrejas

Publicado

em

A sinalização digital invadiu aeroportos, lojas, o transporte público e agora está chegando às igrejas. Esse conceito de comunicação, adaptado a rotina eclesial, traz um tom moderno as entradas de templos religiosos e secretarias, além de facilitar a divulgação de informações. O espaço pode ser aproveitado também para veicular mensagens de reflexão.

Digital Signage” ou sinalização digital é uma ferramenta de comunicação moderna altamente eficaz que utiliza displays digitais para a exibição de mídia informativa ou promocional em qualquer estabelecimento, especialmente em locais de entretenimento ou espera forçada, como, lotéricas, universidades, supermercados, restaurantes, academias, postos de combustíveis, shoppings, clínicas, entre outros.

Diferente de um canal de televisão que comunica uma variedade de informações ao máximo de pessoas, a sinalização digital é feita e transmitida para um público restrito com um foco mais dirigido, diretamente no seu ‘ponto de consumo’. É de interesse desse público dar atenção ao que está sendo exibido, seja para conferir o horário de atendimento ou a promoção do dia.

As vantagens de utilizar essa tecnologia dentro das igrejas podem ser inúmeras, como, a redução de custos com impressão de folhetos informativos, substituir o mural de avisos por algo que seja mais atrativo, atualização em tempo real. Além de ser comprovado um dos formatos de comunicação mais eficazes, e muito mais.


por Eduardo Brandão
Continue Lendo

Em Alta